12 de outubro de 2010

O dia da criança e a abelha rainha

Estava a lembrar de pequenas coisas, simplicidades, que marcaram a minha infância.
Considerando minha introspecção, lembro que eu adorava ouvir música e naquela época, na nossa velha casa da Humaitá - bairro de Belém onde vivi até os 14 anos - escutávamos  discos de vinil na vitrola da vovó.

Uma rede sempre estava estratégicamente armada, bem próximo à vitrola e de tal maneira posicionada, que podíamos ver o quintal que a casa tinha. Era um quintal grande, muito grande. Grande o suficiente para ter jaqueira, mangueira, ameixeira, mamoeiro, patos, porcos e galinhas. E era nesta rede, vendo o verde das árvores do quintal, que eu escutava Maria Bethânia - na época eu não sabia que era ela, claro - cantando a música Mel. 
Eu sentava na rede e me embalava, impulsionando cada vez mais alto, cantando aquela letra que eu não entendia muito bem, mas que fazia brotar em mim uma sensação maravilhosa de liberdade!
O vento no cabelo, o verde do quintal, eu e a abelha com boca de mel, rainha absoluta, éramos iguais, únicas, e uma alegria até então desconhecida invadia meu coração.

Pra quem não conhece a música:

17 comentários:

Beth/Lilás disse...

Ivana, meu bem!
Que lembrança gostosa você teve para enfeitar este dia!
Faço idéia como sua cabecinha voava, como devia ser boa esta rede com a musiquinha na vitrola!
Os tempos pareciam tão leves, tudo ainda por abraçar, tanta vida pela frente, tempo bão, sô! hehe
Eu adoro essa música ainda!
beijos cariocas

Georgia disse...

Ivana, quantas saudades desse tempo de estorinhas e disquinhos coloridos na vitrola, nao é mesmo?

Quer dizer que vc vai querer ser minha filha, rs. Se prepara, tem que ser applicada na escola, hahahahhaah!

Vou lá deitar na rede agora, porque por aqui é de tarde e tô na maior preguica.


Bjao

VaneZa disse...

Que delícia essas histórias da infância, não?

Eu li a sua e revivi algumas minhas...

BeijoZZZ

Luciana Håland disse...

Eu também curtia uma musiquinha numa rede, kkk
Velhos tempos.
Morro de vontade de ter uma vitrolinha, discos de vinil, é um som tão diferente.
Adorei a música.
Recordar é viver.

Beijo

Katia Bonfadini disse...

Ivana, vim agradecer seus comentários, principalmente no post sobre um casal sem filhos... a cada dia me identifico mais com você!!!!! Eu realmente me sinto bem tranquila com minha vida nesse sentido e nunca liguei pras cobranças alheias porque sempre estive muito segura de que a maternidade não combinava comigo. Liberdade é algo que prezo muito e não adianta, realmente é algo que se perde quando chegam os filhos. Minha irmã que me deu de presente um lindo sobrinho sempre diz isso. Ela, ao contrário de outras pessoas da família, me dá a maior força pra não ser mãe!!!! Mil beijos!

Katia Bonfadini disse...

Ivana, vim agradecer seus comentários, principalmente no post sobre um casal sem filhos... a cada dia me identifico mais com você!!!!! Eu realmente me sinto bem tranquila com minha vida nesse sentido e nunca liguei pras cobranças alheias porque sempre estive muito segura de que a maternidade não combinava comigo. Liberdade é algo que prezo muito e não adianta, realmente é algo que se perde quando chegam os filhos. Minha irmã que me deu de presente um lindo sobrinho sempre diz isso. Ela, ao contrário de outras pessoas da família, me dá a maior força pra não ser mãe!!!! Mil beijos!

Katia Bonfadini disse...

Ivana, vim agradecer seus comentários, principalmente no post sobre um casal sem filhos... a cada dia me identifico mais com você!!!!! Eu realmente me sinto bem tranquila com minha vida nesse sentido e nunca liguei pras cobranças alheias porque sempre estive muito segura de que a maternidade não combinava comigo. Liberdade é algo que prezo muito e não adianta, realmente é algo que se perde quando chegam os filhos. Minha irmã que me deu de presente um lindo sobrinho sempre diz isso. Ela, ao contrário de outras pessoas da família, me dá a maior força pra não ser mãe!!!! Mil beijos!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

eu tb ouvia essa mṹsica qdo era criança! Era um disco de vinil, de capa branca, com a foto da Bethania...rodava na minha vitrolinha azul enquanto brincávamos pelo jardim.

a gente pegou uma fase boa né... a gente ainda brincava mto na rua, na natureza, liberdade...

que saudade!
bom dia!

Roseane, disse...

Adorei as suas lembranças, parecidas com as minhas em Macapá.
Bjks

Flávia Mergulhão disse...

Oi Ivana,
Vim aqui agradecer o seu comentario sobre minha mesa no Blog da Bonfa.
Obrigada!
Te convido a conhecer o Ateliê da Caiê!
http://ateliedacaie.blogspot.com
Nos encontramos por lá!
Bjokas

Flávia

Flávia Mergulhão disse...

Oi Ivana,
Vim aqui agradecer o seu comentario sobre minha mesa no Blog da Bonfa.
Obrigada!
Te convido a conhecer o Ateliê da Caiê!
http://ateliedacaie.blogspot.com
Nos encontramos por lá!
Bjokas

Flávia

meus instantes e momentos disse...

bonito post.
Parabens pelo blog.
Maurizio

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Ei Ivana, sempre bom ter você lá no blog, mas sempre bom vir aqui e ver as palavras legais que você escreve. Essa maneira de enxergar a infância, faz a gente olhar para o dia das crianças de maneira menos comercial e mais sentimental. Saudosa.

Beijos

Mahria disse...

Post lindo, lembrança perfeita.
Tão despreocupadamente feliz.
Assim deveria ser a infância de toda criança.

Obrigado pelo carinho de suas visita, fico feliz muito viu?


Bjs
Mah

O que elas estao lendo!? disse...

Oi, você que gosta de ler, temos hoje uma super dica lá no blog.

Te esperamos lá para saber a tua opiniao.

Um abraco da equipe do O que elas estao lendo.

Celia disse...

Esse é uma tempo bom que nao volta mais. Bj

Lúcia Soares disse...

Ivana, adoro essa música!Uma abelha não sei se pode ser, mas uma rainha você É!
Beijos!