1 de agosto de 2009

Pai é quem cria (?)

Dia dos pais está chegando. Não costumo me apegar muito a estas datas assim "inventadas". Mas pelo menos servem como pretexto para se estar ,de uma maneira diferente, com alguém que se ama: namorado, marido, amasiado, mãe, avó, amigo ou pai...

Eu não tenho um desses desde os meus 5 anos. Não, mas a história não é motivo de lágrimas, fiquem tranquilos. Afinal, já faz algum tempo...

Catando meus cacarécos achei esta foto que estava guardada. Nela estamos eu (remelentiiiinha), ele (papai - estranho até de escrever a palavra...) e meu irmão, George. Eu com 2 anos, meu irmão com menos de 1.

Estranho olhar para a foto e saber - racionalmente - que este completo estranho é meu pai. Ah, por quê "estranho"? Porque ele sumiu no buraco do mundo... Abdicou da função pai, sem pedir opinião.

O lado bom disso (ah, sempre tem um!) é que esta despesa do dia dos pais não tenho. Tá certo que também não tenhoo abraço dele, mas tenho outros abraços amorosos onde posso me aninhar, na certeza de que apesar da ausência deste referencial, não sinto tristeza, nem falta. Afinal só sentimos falta daquilo que, de fato, nos pertenceu.

Mas ausências a parte, que tal a boneca na minha mão? Ah, como eu amava esta boneca! Tudo bem que ela estava todo esmirilada, mas pra mim ela era a mais linda do mundo!

Bom final de semana! Jámêvú!

13 comentários:

Bel disse...

Eu fui abençoada pelo pai que tenho. Ainda hoje pesei e medi o quanto ele é PAI.
Mas não fica triste, não, quem perdeu foi ele, de não "te te" como filha. ;)

Xêro!

Ciça Donner disse...

Aqui em casa existe um exemplo clássico de que "pai é quem cria"! Johan talvez ainda nao tenha exatamente percebido a sorte que teve: se por um lado foi "abandonado" por outro muito amado e é muito querido!

Quanto ao "pai"... bom ele nao sabe o azar que teve... e por mim, nunca saberá!

Ciça Donner disse...

Mana eu to apaixonada pelos teus peixinhos!!!!!!!!!!!!!

Edson Nunes disse...

Muito forte a sua postura neste texto, admiro muito!

Ivana disse...

Belzinha, tb acho que ele deixou de viver experiências maravilhosas conosco, nos vendo crescer... Mas fazer o quê? Cada um sabe do preço que paga por suas escolhas. A minha escolha é ser feliz!
Beijocas!

Ivana disse...

Ciça, minha mãe pensa como você...
Que bom que gostastes de meus maparázinhos... Em outubro, eles vão para a frigideira...hihihi
Beijos!

Ivana disse...

Edson, seja bem vindo!
Obrigada pela sua visita e pelo elogio ao texto.
Beijo!

Déia disse...

nossa, me emocionou...
Talvez vc tenha perdido algo...

Mas certamente ele perdeu muito mais!

Parabens por ser quem vc é!
bj

todoyda disse...

Sei lá, quem sabe Deus não escreveu certo por linhas tortas?
bjks
Cristiane

Ivana disse...

Ah Déia, minha psicóloga disse (sua colega de profissão) que eu não tinha nada o que lamentar. Que me ele me poupou de todos os possíveis complexos que a relação pai-filha-pai poderia me causar... Se ela diz, eu acredito!
Beijos!

Beth/Lilás disse...

Ivana querida!
Gostei de seu lindo texto e da solução mais do que lógica deu a ele no final. Certamente hoje, se ele ainda estiver vivo, alguma coisa deve remoer lá dentro de sua alma, mas o Karma é somente dele.
beijinhos cariocas

Anunciação disse...

Há controvérsias,rs.Ir embora ou ficar e ser ausente e ainda por cima atrapalhar?Fica a ?Com certeza,pelo modo como vc encara,foi bastante saudável ao fim de tudo,as decisões tomadas há alguns anos atrás.Eu também adorei os peixinhos.

Ivana disse...

Beth, concordo plenamente. Mana, e agora, a esta altura do campeonato, te falo com toda a honestidade de meu coração: nem se ele quisesse eu iria querer...
Beijos!