10 de fevereiro de 2010

Onde anda você?

Depois de quase um mês habitando o "Castelo Jamêvú" (assim a Luma batizou o meu cafofo), já consegui desfazer algumas caixas. No entanto, ainda não abri aquela onde eu  devo ter guardado a minha inspiração para escrever. Espero que não tenha caído do caminhão pelo meio do caminho. Prefiro pensar que ela espera ansiosa por ser descoberta no meio dos livros, quem sabe.
Mas hoje senti uma enorme vontade de escrever, de dividir, de exorcisar um pensamento insistente e incomodo que está na minha cabeça desde a hora em que assisti  no Jornal Nacional desta noite a queda, flagrada em imagens, do helicóptero da Record.
Um medo adormecido em meu peito rangeu os dentes, se remexeu. Um aperto no peito é o que ficou. Pensei na impotencia do piloto, diante do descontrole da máquina. O desespero do cinegrafista, incapaz de fazer alguma coisa.
Enquanto via as imagens, com Aurelio ao meu lado, não pude deixar olhar pra ele e pedir: por favor, não voe mais.
Mas como pedir pra pessoa que você mais ama no mundo para que ela deixe de fazer o que mais ama fazer?

14 comentários:

Bia Mendonça disse...

Ai Ivana, que triste isso. É muito dificil segurar os medos e se controlar de "impedir" a pessoa que ama de fazer algo. No final, ele sabe que vc só está preocupada e quer o bem dele! :)

bjs

Dona Flor disse...

Passando pra retribuir sua linda visita!
Tenha um bom finalzinho de semana. Beijos.

Georgia disse...

Ivana querida, vimos aqui ontem a cena. Foi de doer. Achei o piloto muito profissional, pois ele conseguiu mesmo com toda a dificuldade aterrizar naquele campo evitando cair em cima das casas. Chorei.

Imagino o seu medo, eu tb teria.

Um bjao

Bel disse...

Oi, flor...
É um sentimento ruim mesmo. Mas me conte: Amasiado é Piloto de profissão, ou voa SÓ por prazer???

Nem me fale em desarrumar coisas de mudança. Tem 5 meses que eu mudei e ainda não me ajustei a tudo. Marido reclama... mas eu sou uma bosta n´água, daquelas que não resolve nadica de nada.

Beijo e bom dia procê!

Beth/Lilás disse...

Ivana, meu bem!
Sôdades dôce, garotinha!!!

Realmente, triste mesmo tudo isso e eu faria o mesmo se meu marido fosse piloto, mas não tem como!
O jeito é sempre estar em sintonia, enviando bons pensamentos a cada vez que pensar nele fazendo seu trabalho, pedir às forças do bem que o acompanhem sempre. É assim que faço com o meu, que nao é piloto, mas poderia ser co-piloto, já que vive pelos céus prá lá e prá cá.
Beijo grande carioca

Carmem Tristão disse...

acho que consigo ter uma idéia de como você se sente... moramos em Vitória (ES), mas os filhos de sérvulo moram em Santos (SP). toda vez que viaja para ver os "pequenos", fico com o coração na mão. em dias de chuva, as bolinhas do terço ficam marcadas na mão. e como pedir para ele não ir? não posso mesmo... ele morre de saudade dos filhos...

quanto às minhas experiências pessoais, helicóptero foi um dos motivos para eu ter largado as redações de jornal. era repórter de eocnomia e fui escalada para fazer matéria na plataforma da Petrobras que estava "na frente" de Vitória. no meio da viagem o helicóptero passou por uma leve pane. e pedi pelo amor de deus pra nunca mais precisar fazer esse tipo de matéria. passei a cobrir empregos e concursos. menos mal.

Blog da Fatima disse...

Ivana..
tbem achei chocante.muito triste.
E ainda filmar uma tragédia dessa e não poder fazer nada.horrivel mesmo.

bjos no ♥

Lúcia Soares disse...

Oi, Ivana. Bom ler você, tão sumida, mas por uma boa causa. É fácil falar que "acidentes acontecem", "era a hora dele", essas coisas que sempre se ouve. Mas também não há como fugir do que queremos e pode ser até uma profissão. Tenho um sobrinho que é piloto, por enquanto de aviões particulares , mas já faz preparação para voos comerciais. Minha irmã finge que não liga,lida bem com a situação. Ele adora, escolheu isso. Então, que seja! O jeito é pedir a Deus proteção e seguir com fé!
A cenas do acidente não assisti, não dou conta. Deve ser horrível saber que aquela "já era", era a sua hora mesmo. Tomara que o piloto tenha pensado que daria certo o pouso.
Bj

Mauri Boffil disse...

gente, eu vi o fuba do helicoptero da record... mto triste

Vem desfrutar do Amor de Deus disse...

Amiga,
Esses são os medos que temos por amar tanto sabia? Você se lembra o meu medo quando contei o caso daqueles missionários? pois bem, essas são nossas fraquezas...temos medo por aqueles que amamos. Isso é do ser humano. O que podemos fazer é deixar apenas os bons pensamentos fluirem...energias sempre positivas e colocar Deus a frente de tudo.
Fica bem tá? Tava com saudades dos seus posts hem???
Bjs carinhosos
Márcia

Blog do Beagle disse...

Só depois de ler vc é que minha ficha caiu... Até então, eu, anestesiada como ando, só vi os destroços. O filho do meu marido é comandante de jato e voa jatinhos pequenos de companhias particulares. Pensei nele, no Pai dele ... Bj. Elza

Laura disse...

Oi Ivana,
imagino o quanto seu coraçao deve ter ficado apertado. Espero que os anjos estejam sempre ao lado dele ajudando as asas de ferro sempre funcionarem!
Bjss

Rosamaria disse...

É uma procupação constante, querida, mas se tens fé nada acontece.

Não deu pra esperar o post da revelação. Estou saindo para arrumar a mala pra viajar amanhã, na volta venho aqui.
Bom carnaval!
Bjim.

Edelize disse...

Guria, estava preocupada com seu sumiço, mas sabendo da mudança dá para entender. Não vi ou li sobre este acidente, mas penso que é melhor a gente não se preocupar no que pode ou não pode acontecer já que não temos controle sobre o futuro, curtir o presente e a presença do amado é melhor, mas este medinho/angústia é inevitável. Bom findi! Bjocas